PF e MPF desarticulam associação criminosa de Guanambi que contrabandeava cigarros

0
37

Operação Tabapy cumpre cinco mandados de prisões preventivas e 18 de busca e apreensão em Guanambi e Luis Eduardo Magalhães. Móveis e imóveis de mais de R$ 42 milhões foram bloqueados.

 

GUANAMBI – O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) deflagraram na manhã desta terça-feira (17) a Operação Tabapy, que investiga uma associação criminosa especializada na importação, transporte e distribuição de cigarros paraguaios para o Brasil. O grupo tem atuação no Sudoeste da Bahia e é composto por 17 pessoas.

Para desarticular a associação, estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, sendo quatro em Guanambi, sede do grupo, e um em Luís Eduardo Magalhães. A Subseção Judiciária de Guanambi concedeu mandados de busca e apreensão em 18 imóveis residenciais e comerciais, sendo 17 em Guanambi e um em Luís Eduardo. Os bens investigados custam em torno de R$ 42,178 milhões de reais.

De acordo com investigações do MPF, foi identificado que o grupo está em atividade desde o ano de 2013. Vários integrantes da associação criminosa já respondem a inquéritos e ações penais, inclusive com algumas condenações definitivas.

Os envolvidos são investigados pelos crimes de contrabando de cigarros (art. 334-A do Código Penal), associação criminosa (art. 288 do Código Penal) e sonegação fiscal (Lei 8.137/90), e devem responder à ação penal do MPF após a conclusão das investigações.

EDIÇÃO: TARCÍSIO ARCANJO