Pindaiense reforma cardeiras de rodas no interior de São Paulo e as doa para todo país

0
67

Natural da cidade de Pindaí, Dásio Alves dedica oito anos da sua vida para reformar e adaptar cadeiras de rodas para doações. O seu trabalho oficial é de consertar carros antigos em Cidade Nova, interior de São Paulo, no entanto, dedica as suas horas vagas para ajudar o próximo.

O sonho de ajudar pessoas que necessitam de cadeira partiu de uma fase na sua vida.”Há muito tempo precisei de uma cadeira de roda e não consegui, acabei usando durante dois anos uma emprestada de uma amigo. Eu sei como é difícil conseguir uma doação ou uma  (cadeira) por um preço acessível”, conta Alves.

Esse projeto não partiu só dele, teve ajuda de uma pessoa muito especial. “Era eu e meu filho que realizávamos esse projeto que a cada dia cresce mais”, explica. Danilo Alves era o filho responsável por auxiliar nessa jornada, mas infelizmente, morreu há 5 anos  vítima de um atropelamento.

Enquanto aguardava a chegada da ambulância, Danilo fez um apelo para o pai – “Pai, não pare com as cadeiras isso vai ajudar muitos”, conta emocionado o pai.

Mesmo sem muita ajuda para continuar o projeto, ele permanece há quase uma década.  “São em média 3 a 4 cadeiras semanais. Tudo de doações e alguns matérias que eu pego no ferro velho”, explica ele.

As cadeiras não tem custo para o receptores das doações, apenas de gratidão. Como é o caso da Maria Souza que foi à procura de uma cadeira para sua irmã que tem deficiência intelectual “Ela não andava, só ficava na cama e essa cadeira é uma mão na roda. Graças a Dásio! Perguntei quanto custava e ele falou que nada.”, afirmou Souza, para a TV Setorial.

As cadeiras são encomendadas e doadas para todo o Brasil, inclusive para a região de Guanambi –  “Enviei para Pilões e foram distribuídas na região há alguns anos”, pontuou.

A quantidade de pessoas já ajudadas com o projeto são muitas, no entanto, o funileiro nunca contabilizou. “Não contei, mas são várias. Tem cadeiras que mudei o tecido, troquei roda… Muitas”, finalizou.